Segunda, 17 de Janeiro de 2022
22°

Pancada de chuva

Curiúva - PR

GERAL Paraná

Portos do Paraná promove reuniões de adesão ao programa de recuperação de áreas degradadas

A Portos do Paraná deu início nesta semana, em Antonina, à terceira fase do Programa de Recuperação de Áreas de Proteção Permanente Degradadas (PRA...

12/01/2022 às 17h25
Por: Redação Portal Curiúva Fonte: Secom Paraná
Compartilhe:
Foto: Ecotec/Portos do Paraná
Foto: Ecotec/Portos do Paraná

A Portos do Paraná deu início nesta semana, em Antonina, à terceira fase do Programa de Recuperação de Áreas de Proteção Permanente Degradadas (PRAD), que prevê a recuperação, com técnicas agroflorestais, de cerca de 40 hectares localizados em áreas de preservação permanente (como o entorno de rios) dentro de pequenas propriedades rurais. A iniciativa terá impacto direto na redução da quantidade de sedimentos carregados pela chuva até o Complexo Estuarino de Paranaguá.

Das sete reuniões de adesão dos proprietários/agricultores ao projeto, quatro já aconteceram: uma na Bacia Hidrográfica do Rio Pequeno, duas na Bacia Hidrográfica do Alto Cachoeira e uma na Bacia Hidrográfica do Rio de Nunes. Durante os encontros são lidos os termos de adesão ao PRAD, esclarecidas as dúvidas e apresentadas as responsabilidades dos proprietários/parceiros e também da equipe executora do projeto.

Para João Paulo Santana, diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná, é fundamental os agricultores entenderem a importância da recuperação das áreas degradadas.

“Eles não vão simplesmente plantar florestas. Vão fazer isso com espécies de interesse econômico que podem, além de produzir comida, gerar renda, fortalecer a biodiversidade e sequestrar carbono da atmosfera”, destaca Santana. “O Sistema Agroflorestal é uma das formas de gestão territorial gerida pela cultura permanente em que cada ser humano tem que se responsabilizar pelos seus impactos sobre o planeta”, completa.

ODS- O diretor ressalta ainda que o Programa de Recuperação de Áreas Degradadas vai ao encontro das ações de redução de mudanças climáticas.

“Esses projetos de parceria e conscientização das comunidades são premissas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Acredito que sejamos um dos primeiros portos do mundo a implantar uma ação como essa, neste formato”, arremata.

APOIO - Suzane Álvares, coordenadora de implantação de sistemas agroflorestais da Ecotec, empresa contratada pela Portos do Paraná para executar o projeto, conta que os dois primeiros encontros foram muito produtivos. “Os agricultores estão animados com o início eminente das atividades práticas do programa, ansiosos para começar as implantações dos viveiros e capacitações, como também para o início dos planejamentos dos sistemas agroflorestais e da realização dos cadastros ambientais rurais”.

“Após os encontros de adesões ainda faremos uma busca pelas pessoas que não puderam comparecer aos encontros, na primeira semana de fevereiro”, explica Angélica Soares, coordenadora sócioambiental da Ecotec.

Mais três encontros de adesão estão agendados para janeiro. Dia 14, na Bacia Hidrográfica do Alto Cachoeira; dia 21, na Bacia Hidrográfica do Baixo Cachoeira e dia 22, na Bacia Hidrográfica Rio Pequeno.

CONDICIONANTE - A execução do Programa de Recuperação de APPs Degradadas para a APA Federal de Guaraqueçaba foi estabelecida como condicionante da Autorização de Licenciamento Ambiental nº 10/2012, emitida pelo ICMBio, e da Licença de Instalação nº 1144/2016, emitida pelo Ibama, ambas referentes às obras de dragagem de aprofundamento do canal de navegação, acesso e berços do Porto de Paranaguá.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias